Empreendedorismo entre jovens é essencial para economia de países latinos

Dados da OIT (Organização Internacional do Trabalho) revelam que 100 milhões de jovens vivem na América Latina. Desse total, 46% estão desempregados, 30% têm uma ocupação informal e outros 2% não trabalham nem estudam.

Para o presidente da Confederação de Associações de Jovens Empresários, Patricio Rodríguez-Carmona, a mudança na educação oferecida aos possíveis futuros empresários é a chave para o desenvolvimento.

Ele disse que as universidades latinas não se dedicam a formar gestores, e sim bons empregados. “A união da universidade com as empresas é chave para uma formação mais completa”, garante Patrício. As declarações foram feitas durante o 4º Fórum Empresarial Ibero-Americano, em San Salvador (El Salvador).

Divórcio entre escola e empresa
“Existe um divórcio entre a educação e o mundo empresarial”, explicou o membro da Confederação Patronal Mexicana e mediador do painel, Ricardo González Sada. “Todos sabemos que é muito bom para nossos jovens que eles consigam um bom emprego. Mas eles também precisam saber criar seu emprego”. Rodríguez-Carmona lembrou da importância da criação de linhas de crédito para financiamento das idéias inovadoras dos jovens.

No Brasil
No Brasil, dados do Sebrae indicam que, anualmente, cerca de 18 mil jovens, entre 18 e 24 anos, abrem uma micro ou pequena empresa no estado de São Paulo. Isso significa que eles são donos de 17% do total de MPEs dos 645 municípios paulistas.

por InfoMoney

Anúncios